Desenvolvimento de Estruturas Autônomas e Inteligentes para Produção de Bivalves em Mar Aberto

Evento: 5° Seminário da Divisão de Modelagem Numérica do Sistema Terrestre
Organizador: DIMNT/INPE

Palestrante: Prof. Waldir Terra Pinto
Contato: waldir.pinto@gmail.com

Link de acesso: https://www.gotomeet.me/cptec21
Link de perguntas: https://app.sli.do/event/q3djtydi

Biografia: Graduado (FURG, 1982) e Mestre em Engenharia Civil (PUC-RIO, 1988), PhD em Engenharia (University College London – UCL, 1995), Pós-Doutorado no Departamento de Engenharia Mecânica (Laboratório de Interação Fluido Estrutura) da McGill University, Montreal, Canadá (2004-2005). Professor visitante no Laboratório de Tecnologia Oceânica – LabOceano – COPPE-UFRJ (2007-2010). Atualmente é professor titular da Escola de Engenharia da FURG, idealizador e responsável pelo Laboratório de Interação Fluido Estrutura (LIFE). Atua na graduação nos cursos de Engenharia Mecânica Naval (Estruturas Navais) e Engenharia Civil Costeira (Hidrodinâmica Marítima), e na pós-graduação no Programa de Engenharia Mecânica na área de simulação e controle de processos dinâmicos. Coordenador de tecnologia do projeto de pesquisa “Desenvolvimento de Estruturas de Cultivo para Águas Abertas (Offshore) com Geração Própria de Energia” – PROJETO PRONEX – FAPERGS/CNPq (FURG-UFRGS). Atua nas áreas de interação fluido estrutura de sistemas oceânicos, estruturas submarinas, simulação e controle de sistemas inteligentes.

Resumo da palestra: A questão da segurança alimentar e da segurança energética é
fundamental para a qualidade de vida das populações. Entretanto, é imperativo que essa qualidade de vida seja alcançada a partir de sistemas de produção sustentáveis. Neste contexto, esta palestra aborda os estudos para o desenvolvimento de sistemas oceânicos autônomos, inteligentes e com autossuficiência energética para a produção de proteína, em alto mar, a partir do cultivo de bivalves. A autossuficiência energética se baseia em fontes renováveis de energia disponíveis no mar. A palestra aborda questões como a escolha da espécie de cultivo, os tipos de estruturas usados na aquicultura offshore, as fontes de energia renováveis que podem ser utilizadas para atender a demanda energética do sistema e os principais tipos de conversores de energia O trabalho também apresenta alguns exemplos de estudos experimentais e computacionais relativos à hidrodinâmica de elementos estruturais e estruturas não convencionais que são frequentemente utilizadas nas fazendas de cultivo offshore, como é o caso de estruturas permeáveis, modeladas como cilindros perfurados, gaiolas e lanternas de cultivo. As análises experimentais dos efeitos de corrente foram feitas a partir do reboque de estruturas cilíndricas ao longo de um canal com e sem a presença de ondas. Os estudos da dinâmica dos fluidos computacional foram realizados com a utilização do programa STARCCM+ e o os estudos de gaiolas de cultivo sujeitas à ação de ondas regulares foram feitos pelo programa ANSYS-AQUA. Enfim, a apresentação contempla os principais aspectos da pesquisa realizada até agora, além de chamar a atenção para importância do desenvolvimento de sistemas deste tipo no contexto das metas de desenvolvimento sustentável da ONU para 2030.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *