Histórico

No início dos anos 90 pesquisadores do IEAPM (Instituto de Estudos do Mar Almirante Paulo Moreira), localizado em Arraial do Cabo, demonstraram grande preocupação com os acidentes decorrentes da agitação marítima provocada por eventos meteorológicos que ocorriam ao largo da costa do litoral sul e sudeste do Brasil. Naufrágios de barcos pesqueiros com vítimas eram muito frequentes. Assim, alguns pesquisadores do IAG-USP, do INPE, do IPMet (UNESP, Bauru), reuniram-se e desenvolveram um modelo de previsão de ondas de superfície do mar, classificado como de segunda geração (Pellegatti 1993, Candella 1997). A partir de 1997, graças a um projeto temático aprovado pela FAPESP proposto por pesquisadores do INPE e do IPMet, iniciou-se um trabalho operacional de previsão do estado do mar com resultados divulgados ao público e com alertas enviados à defesa civil. O projeto tinha por objetivo estudar os ciclones extratropicais sobre o Atlântico Sul, então foi criada uma página eletrônica, denominada ATLASUL, onde os resultados eram disponibilizados. Nos anos seguintes foram incorporados ao sistema os modelos de terceira geração WAM e WW3. Foram escritos vários artigos estudo-de-caso mostrando a boa qualidade das simulações e do benefício da divulgação dos resultados com antecedência para prevenção de acidentes. Nesta fase as simulações e a página eram administradas no INPE em SJC. O Climerh, em Florianópolis, incorporou à sua rotina operacional as simulações dos modelos do projeto ATLASUL, e passou a emitir alertas aos pescadores.

Em 2002 o projeto ATLASUL foi incorporado pelo projeto LAMMA, administrado pela COPPE-UFRJ. Várias teses e estudos realizados na UFRJ e no INPE contribuiram para melhorar os resultados das simulações numéricas. O sistema ATLASUL foi adotado pela rotina operacional do EPAGRI-CIRAM, DHN-Peru, e Marinha Mexicana. Um projeto temático FAPESP finalizado em setembro de 2011 e o apoio da PROOCEANO permitiram iniciar um sistema de monitoramento costeiro ao longo da costa do Brasil, onde a intensidade da agitação marítima simulada próximo à costa pode ser avaliada através de uma climatologia de 30 anos.

Em 2020 o projeto ATLASUL foi migrado para a nuvem, iniciando uma nova fase do projeto: Criação de um HUB de Informações sobre Modelagem Numérica de Ondas.

Estão sendo desenvolvidos projetos para:

  • previsão de ondas em águas rasas,
  • previsão da circulação oceânica próximo à costa,
  • avaliação das previsões de ondas, e
  • extensão do monitoramento costeiro a toda América.

Pellegatti, Dirce Maria Pellegatti Franco, 1993: Um modelo de previsão de ondas de superfície do mar geradas pelo vento. Tese de Mestrado em Meteorologia, INPE.
Candella, Rogério Neder, 1997: Estudo de Casos de Ondas no Atlântico Sul através de Modelagem Numérica. Tese de Mestrado em Engenharia Oceânica, COPPE.